3 de setembro de 2019
Compartilhe

O Brasil é hoje o 5º maior consumidor de roupas do mundo. Esse dado ressalta a importância do setor de moda para a economia. Portanto, iremos apresentar nesse post: as 5 tendências do setor de moda brasileira (segundo a Febratex – a fonte encontra-se no final do texto).

1. A força do mercado digital

A força do mercado digital é influencia todos os setores do mercado nacional, ou seja, o da moda também. Todas as empresas devem ficar atentas às novidades para conseguirem se adaptar as novas tendências dos consumidores. Vamos falar de duas novidades aqui. A primeira é o omni-channel.

A ideia do Omni-channel  é o cliente transitar em diversos canais de compra. Baseada no uso simultâneo e interligado de diferentes canais de comunicação. Tem o objetivo de estreitar a relação online e offline. Dessa forma, o Omni-channel possibilita usar, por exemplo, um aplicativo para encontrar uma saia, você pode experimentá-la na loja e recebê-la em casa.

Outra novidade é o Google Lens, um aplicativo de reconhecimento de imagem desenvolvido pela Google. Esse programa é capaz de fazer buscas na Internet com base nas imagens tiradas pelos usuários. Assim, é possível tirar uma foto no Google Lens de algum produto que você queira e esse aplicativo indicará produtos semelhantes na web.

2. O crescimento do mobile

Investir em sites e aplicativos via dispositivos móveis (smartphones e tablets) deve estar no seu radar. Já que segundo dados do Google, 44% das buscas são feitas pelos dispositivos móveis. E em 2017, o ranking dos itens mais buscados foram: roupas: 73%; calçados: 67%; acessórios: 63%; e bolsas: 50%.

3. O poder das redes sociais para as diferentes classes

Já é comprovado que as redes sociais têm o poder de alavancar as vendas. Afinal, a divulgação de peças e modelos que antes era restrita aos desfiles de moda, hoje tem o alcance de todos.

O gasto médio mensal de gastos do consumidor com vestuário foi de (2014):R$ 455,00 para a classe A; R$ 202,00 para a classe B e R$ 97,00 para a classe C (segundo dados do Google).

Entretanto, é importante analisar esses dados nos segmentos corretos, pois, o valor da Classe C é o menor mas é a classe mais numerosa, ou seja, ela pode oferecer um volume muito grande de vendas (dependendo claro de qual for o seu produto).

4. Impressão digital têxtil

Contar com a tecnologia para a mecanização de algumas tarefas é o nosso contexto atual. A partir desse ponto, pode-se dizer que  a impressão digital têxtil tem se desenvolvido bastante.

O processo de produção de estampas era pouco produtivo. Hoje em dia, contamos com equipamentos de impressão digital bem mais interessantes, rápidos e de qualidade muito melhor. Para saber mais sobre as técnicas digitais de estamparia clique aqui.

5. Automação da produção

E não é somente na estamparia que a tecnologia está transformando os processos. Hoje em dia, diversas tarefas da linha de montagem têxtil estão sendo automatizadas. Por exemplo, o corte de tecidos pode ser feito a laser, assim como, algumas tarefas de costura também estão sendo automatizadas.

As transformações vão ocorrer também nas atividades de gestão e administração do setor têxtil. Atualmente é possível encontrar softwares capazes de integrar todos os pontos de produção, da chegada do produto no estoque até a venda dele.

Conclusão

Assim, apresentamos 5 tendências para o setor da moda brasileira. Aliás, essas tendências evidenciam a importância de se adaptar as transformações que a tecnologia nos oferece para conseguir encarar um mercado tão competitivo nacional e internacionalmente.

Fonte: https://fcem.com.br/noticias/5-tendencias-para-o-setor-da-moda-no-brasil/

Compartilhe
  • Tags:

Ultimos posts

10 de setembro de 2019

A importância da gestão estratégica no setor têxtil

5 de setembro de 2019

O futuro da indústria da moda

3 de setembro de 2019

As 5 tendências do setor da moda brasileira

27 de agosto de 2019

Os 4 principais segmentos têxteis brasileiros